Qual a duração ideal de um sermão?

0
62
title=

Quanto o tempo ideal que um pastor deve pregar? Essa é uma pergunta que tem sido muito recorrente na igreja atual.

A resposta pode ser menor do que você pensa e mais longa do que alguns gostariam. O fato é há muita confusão e desinformação sobre quanto tempo os pastores devem pregar.

Por um lado, as pessoas argumentam que um sermão deve durar pelo menos uma hora; caso contrário, sua pregação é superficial. Afinal, leva tempo para cavar a rica profundidade da Palavra de Deus.

Por outro lado, as pessoas argumentam que a atenção da nossa cultura está diminuindo . Portanto, seu sermão deve ficar abaixo de 20 minutos para que você não perca pessoas.

Quem está certo?

A Bíblia não tem muito a dizer sobre quanto tempo você deve pregar.

O máximo que lemos sobre a duração do sermão é que Jesus às vezes ensinava e curava pessoas durante todo o dia (Lucas 9.11,12) e que Paulo ensinou uma vez por tanto tempo que um menino literalmente morreu (Atos 20.9).

Portanto, podemos usar isso como justificativa para pregações longas, mas, a menos que estejamos confiantes de que Deus nos usará para ressuscitar nossa audiência dos mortos — como Paulo fez com o menino –, esse pode não ser o melhor modelo para seguir.

Mas em uma coisa todos concordaremos: Deus é brilhante. Ele não deu ordens diretas sobre a duração do sermão por um motivo: Ele sabia que todas as igrejas, em todas as culturas, precisam de liberdade para fazer o que funciona melhor. Para alguns, isso significa longos sermões; outros, curtos.

Duração de sermão nas igrejas americanas

Um levamento feito pelo pastor Brandon Hilgemann, fundador do site propreacher.com, mostrou a duração dos sermões nas igrejas que mais crescem nos Estados Unidos.

No geral, o estudo constatou que 40 minutos é a duração média do sermão na maioria das igrejas hoje. Em nenhuma das igrejas americanas analisadas a mensagem foi maior que 1 hora.

Há muito mais para o crescimento de uma igreja do que a duração de um sermão, mas a duração do sermão, no mínimo, não está impedindo o seu crescimento.

Todas as igrejas e culturas são diferentes. Portanto, não baseie toda a sua filosofia de ministério em torno deste estudo. Todavia, esperamos que pastores sejam desafiados a uma oração e reflexão sobre o que precisam ser melhorados nas nossas igrejas locais.

Fonte