Orando e crescendo no espírito

0
79
title=

“Orarei com o espírito, mas ao mesmo tempo com a mente; cantarei com o espírito, mas igualmente com a razão.” – I Coríntios 14.15

Orar “com o espírito” e orar “no espírito” incluem orar em línguas. Podemos orar com o nosso entendimento (a nossa mente) e com o nosso espírito. Ambos os tipos de oração são importantes, mas orar com o nosso espírito nos impacta de uma maneira diferente do que orar com a nossa mente. Orar em línguas envolve o nosso espírito na oração, e a presença do Espírito Santo influencia e fortalece o nosso homem interior, inclusive os nossos pensamentos e sentimentos. Paulo orou pelos efésios, para que “fossem fortalecidos no âmago do vosso ser, com todo o poder, por meio do Espírito Santo (Efésios 3.16), e o fato de sermos fortalecidos dessa forma é um dos resultados de falarmos em línguas. Deus planejou a constituição humana de forma que o nosso espírito pudesse se envolver com Deus, falando ou cantando em línguas (I Coríntios 14.15; Efésios 5.19; Colossenses 3.16).

Tanto cantar com o nosso espírito como cantar com o nosso entendimento são importantes em nossa vida espiritual. Paulo ensinava que se cantássemos as Escrituras, a partir dos nossos corações, experimentaríamos a graça de Deus e a presença do Espírito:

“Habite ricamente em vós a Palavra de Cristo; ensinai e aconselhai uns aos outros com toda a sabedoria, e cantai salmos, hinos e cânticos espirituais louvando a Deus com gratidão no coração”. – Colossenses 3.16

“Deixai-vos encher pelo Espírito, falando entre vós com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor” – Efésios 5.18,19

Os nossos corações são aquecidos e sensibilizados quando cantamos a Palavra e cantamos com o nosso espírito espontaneamente. Fazer isso nos deixa mais sensíveis ao Espírito Santo. Tenho descoberto o poder de cantar espontaneamente passagens bíblicas a Deus e de cantar periodicamente em línguas, o que frequentemente resulta no Espírito Santo tocando as câmaras profundas do meu coração. Encorajo você a fazer isso regularmente.

Cantar a Palavra impacta o nosso coração mais do que simplesmente fá-la ou ouvir os outros falando-a. Deus projetou o coração humano para que fosse tocado profundamente pela música e pelo cântico. À medida que cantamos a Palavra e cantamos como nosso espírito, recebemos mistérios (impressões divinas do Espírito Santo) e recebemos revelações da Palavra. O Espírito Santo nos dará cada vez mais se cantarmos a Palavra e se cantarmos com o nosso espírito frequentemente.

A nossa comunhão com Deus é visivelmente fortalecida por orarmos ou cantarmos em línguas, porque o nosso espírito envolve-se com Deus de uma maneira que vai além de orarmos com a nossa mente. Orar ou cantar em línguas nos capacita a falarmos e a recebermos mistérios (I Coríntios 14.2), a edificarmos (I Coríntios 14.4), a bendizermos a Deus (I Coríntios 14.16) e a orarmos continuamente (I Coríntios 14.18) de uma maneira que edifica a nossa fé. Assim sendo, isso suaviza o nosso coração e nos sensibiliza para as realidades do Espírito Santo.

A boa notícia é que qualquer cristão pode orar no Espírito porque isso não requer nenhum treinamento especial ou capacidade intelectual. É um dom espiritual que pode nos beneficiar muito à medida que crescemos em oração.

O emprego desse dom facilita esse dom facilita a manutenção da oração por longos períodos, e temos que continuar encontrando maneiras diferentes de expressar ideias. O nosso espírito tem comunhão sem nenhum esforço com o Espírito Santo quando oramos em línguas.


Texto extraído do livro “Crescendo em Oração”, de Mike Bickle. Para saber mais sobre a obra, clique aqui ou na imagem acima

 

Fonte