Barreiras para o perdão

0
79
title=

Existem certas barreiras para o perdão, e Jesus veio ao mundo exatamente para remover as barreiras que havia entre o homem e Deus. Na cruz do Calvário, Jesus Cristo, nosso substituto, satisfez plenamente a justiça e a lei de Deus. Portanto, no Calvário, a barreira que havia do lado divino foi tirada.

Em Isaías 42.21, lemos o seguinte: “Foi do agrado do Senhor, por amor da sua própria justiça, engrandecer a lei e fazê-la gloriosa”. E no Calvário Deus cumpriu a lei; não omitiu nem uma dela. Com base no que Deus realizou através de seu Filho, Jesus Cristo, nós somos perdoados.

Livro Discipulado Relacional

Joel Comiskey

Livro Discipulado Um a Um

Abe Huber

Livro O Coração do Bom Pastor

Abe Huber

Livro Lealdade e Deslealdade

Dag Heward-Mills

O arrependimento é imprescindível

Mas existem barreiras também do nosso lado. Por exemplo, Deus nunca perdoa um pecador que não tenha se arrependido, pois isso não seria uma medida segura para o seu governo. Tampouco ele considera justa uma pessoa ímpia. Primeiramente ele torna a pessoa justa, e só depois é que a declara justa. Deus justifica a todos que se arrependem de seus pecados e creem em Jesus Cristo.

Arrepender significa mudar de ideia, dar uma meia volta. Orientávamos nossos pensamentos em certa direção, e agora temos de orientá-los em outra. Costumávamos arranjar desculpas para nossos erros, ficar sempre na defensiva, e julgar a nós mesmos, comparando-nos com os outros. Agora, porém, estamos convictos de que pecamos contra Deus. Se deixarmos que o Espírito atue, e nos rendermos à sua orientação, reconhecendo nossa verdadeira condição e não nos desculpando mais, receberemos o perdão tão logo exercitemos fé em Jesus Cristo.

Precisamos receber o perdão

O perdão é uma dádiva que tem de ser recebida. Podemos perceber essa verdade no caso de um homem que estava cumprindo pena numa prisão, por haver sido condenado por um crime. Esse homem tinha tantos amigos intercedendo por ele, que o governo foi levado a perdoá-lo. Entretanto, para surpresa de todos, ele recusou o perdão, e o caso foi levado ao Supremo Tribunal, para se ouvir a opinião dos ministros. Eles declararam que o perdão era um instrumento da lei, que não apenas deveria ser promulgado mas, também, recebido. Porque aquele homem recusou-se a ser perdoado, continuou na prisão.

E assim acontece conosco: precisamos receber o perdão de Deus. Existem algumas pessoas que receberam o Senhor Jesus Cristo em seu coração, para ser seu Senhor e Salvador, mas que ainda têm dificuldades em crer no perdão de Deus. Isso acontece porque não têm uma consciência perfeitamente purificada; esperam purificar a consciência pela confissão repetida de seus pecados. Entretanto essa confissão não tem nenhum valor. As pessoas se sentem bem durante algum tempo, mas pouco depois volta-lhes o senso de culpa. Elas precisam “receber” o perdão, num ato deliberado, das mãos de Jesus e crer, com perseverança, que ele lhes concedeu a dádiva do perdão. Como na ilustração que mencionamos, se elas não receberem o perdão, não poderão desfrutá-lo.

Precisamos consertar nossos erros

Outra barreira é a falta de preparação. Se roubamos os bens de alguém, temos de devolvê-los. Se prejudicamos as pessoas, temos de pedir-lhes perdão. Se praticamos quaisquer outros atos maus, temos que reparar essas coisas, na medida do possível. Se não agirmos assim, não poderemos ter a fé e a consciência pura que tanto desejamos.

Algumas pessoas dizem que “não é necessário fazer reparação do erro, pois tudo já foi coberto pelo sangue de Jesus”. Será que você concorda com isso? Suponhamos que você tivesse roubado o carro do seu vizinho, e depois que se converteu, continuasse a rodar no carro dele. O que será que ele pensaria de sua fé? Será que não esperaria que o carro lhe fosse devolvido? Você nunca poderia, em sã consciência, continuar usando o carro do outro, e dizer: “Isso foi coberto pelo sangue de Jesus”. E se podemos aplicar esse princípio num caso como esse, também devemos aplicá-lo às questões de menor monta. Temos de reparar aquilo que pode ser reparado.

Livro 72 horas para Consolidar uma Vida

Luciano Rodrigues e Edilson Lima

Livro Cultura do Avivamento

Michael Brodeur e Banning Liebscher

Livro Sua Igreja em Células

Abe Huber e Sabá Liberal

Livro 70 x 7 – O Perdão na Visão de Jesus

Sandro Oliveira e Whodson Almeida

Acho que seria bom se fizéssemos a nós mesmos algumas perguntas. Já roubamos alguma coisa e não devolvemos? Já mentimos? (Uma mentira que não tenha sido esclarecida pode fazer com que as pessoas nunca mais confiem em nós.) Perdemos a calma? Prejudicamos a reputação de alguém por meio de boatos e difamações? Fomos ingratos com alguém. Abrigamos espírito de amargura? Temos atitudes de rebeldia? Temos de confessar nossos pecados, porém também é preciso perdoar aos outros. Precisamos do poder do Espírito Santo. Uma consciência pura nos dá coragem e possibilita a manifestação do Espírito Santo por nosso intermédio.

 


Escrito pelo pastor Ted A. Hegre, fundador da Missão Evangélica Betânia. Foi chamado para estar com o Senhor em 1984

Fonte