Dois valores profundos de pastores eficazes

0
194
title=

O primeiro valor profundo ou convicção de um pastor eficaz é passar tempo com Jesus. Alguém disse: “se você fosse levado ao tribunal por ser cristão, haveria evidências suficientes para entrar irem contra você?” Grandes pastores demonstram a evidência de Jesus Cristo em suas vidas. E isso só vem passando tempo com ele. Observe as prioridades do apóstolo Pedro em Atos 6.4, “Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra.”

O segundo valor ou prioridade é focar na infraestrutura da igreja, ao invés da multidão do domingo. Pastores eficazes da igreja celular sabem se podem mobilizar os leigos para se envolverem em grupos de células; já os que frequentam a igreja receberão cuidados pessoais. O maior desejo de um pastor da igreja em células é o crescimento e a saúde dos grupos de células, ao contrário de quantas pessoas estão participando do culto de adoração.

A estratégia da igreja em células é principalmente uma estratégia para fazer discípulos que fazem discípulos. Pastores de igrejas celulares bem-sucedidos vêem o sucesso de quantos sentados nos bancos podem ser convertidos em discípulos que irão pastorear grupos caseiros que, em troca, pastorearão e evangelizarão. O trabalho real é cuidar dos líderes atuais e depois treinar os futuros (treinamento do discipulado). O culto de celebração é importante, mas é o resultado do trabalho real que acontece durante a semana.

O foco da infraestrutura celular ajuda a alinhar o pastorado com a verdade do Novo Testamento – lembre-se de que Efésios 4.11,12 diz que o trabalho do pastor é treinar os leigos a fazer o trabalho do ministério. Esse novo foco também ajuda a resgatar o papel do pastor, de a estrela da celebração do domingo para o principal instrutor e discipulador. Em vez de perguntar sobre como tornar a comemoração atraente o suficiente para que as pessoas continuem a voltar, ele pergunta: “Como posso preparar e liberar os trabalhadores leigos para a colheita, desenvolvendo-os para liderar grupos de células dinâmicas?”

Um pastor solitário em uma igreja pequena levará mais tempo para chegar a este ponto do que um pastor em uma grande igreja. O objetivo é o mesmo, no entanto. Carl George diz: “Eu desafio pastores a serem desenvolvedores de ministérios, e então medir todos os outros efeitos na igreja por esse padrão — não por quão impressionante é o sermão, mas por quantos ministros são feitos. Meça não pelo quão disponíveis ou ocupados são os pastores, mas pelo quanto o pessoal remunerado contribui para a formação de ministros ”(How to Break Growth Barriers | Como Quebrar Barreiras do Crescimento, em tradução livre, p. 104).

Como Jesus e Seus discípulos, o pastor principal cuidará e ministrará principalmente a sua equipe ministerial. O pastor deve derramar sua vida em seus principais líderes. Ele deve construir relacionamentos com eles fora da reunião oficial da equipe. Jesus, o líder supremo, revelou como Ele desenvolveu relacionamentos com Seus discípulos: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer..”(João 1.:15).

Fonte