Cuidando de cada um através do discipulado

0
496

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.18-20).”

O discipulado é a maneira bíblica para a edificação da igreja. Jesus disse: “Eu edificarei a minha igreja” (Mateus 16.18), e o modelo que Ele praticou foi treinando seus discípulos para que estes treinassem outros; é dessa forma que sua igreja chegou onde está hoje. Paulo disse para Timóteo, seu discípulo, que transmitisse a outros aquilo que tinha lhe ensinado (II Timóteo 2.2). Assim a igreja foi estabelecida, perdurou através dos séculos, e está conquistando o mundo para o Reino de Deus.

A ideia de discipulado no Antigo Testamento

No Antigo Testamento, os representantes da autoridade divina eram os reis, sacerdotes e profetas. Os reis eram sucedidos por uma linhagem real. Os sacerdotes eram sucedidos por uma linhagem sacerdotal. Os profetas, porém, eram levantados por Deus aleatoriamente de acordo com a vontade divina. Alguns profetas eram sucedidos por seus discípulos, como é o caso de Elias e Elizeu.

A ideia de discipulado vem do Antigo Testamento. Um discípulo assentava-se aos pés de seu mestre para receber as instruções para sua missão de vida. O mestre repassava os seus conhecimentos e também a sua experiência, e o discípulo, por sua vez, desenvolvia tudo o que aprendia.

O termo “discípulos dos profetas” é muito comum no Antigo Testamento

Esta expressão é constante no livro de I e II Reis, especialmente porque Elizeu, que era discípulo de Elias resolveu fundar e estruturar uma escola de profetas em Israel. Os discípulos dos profetas não só se assentavam em cadeiras da escola para aprender, mas também eram enviados para exercerem seu ofício de profeta em outros lugares, como vemos em muitos textos (I Reis 20.35; II Reis 2.3, 5, 7, 15; II Reis 4.1, 38; II Reis 5.22; II Reis 6.1; II Reis 9.1; Amós 7.14).

As funções e deveres dos discipuladores e discípulos eram distintos

“Deitaram sortes para designar os deveres, tanto do pequeno como do grande, tanto do mestre como do discípulo”  (I Crônicas 25.8)

Davi estabeleceu uma escola de músicos e cantores que tinha vários mestres da música como ASAFE, JEDUTUM E HEMÃ, os quais, por sua vez, tinham seus discípulos que eram aprendizes, “discípulos dos cantores e músicos”. E era assim que eles se reproduziam na futura geração de músicos e cantores.

A lei deveria ser ensinada e selada no coração dos discípulos

“Resguarda o testemunho, sela a lei no coração dos meus discípulos” (Isaías 8.16).

Existem três fontes de aprendizado para a nossa formação, sendo elas:

  • A família;
  • A igreja;
  • A escola.

Deus espera que estas fontes de aprendizado não operem de maneira informal, mas sim de forma pessoal, para que não só o conhecimento seja passado, mas, para que o caráter seja formado e o curso de vida de uma pessoa tenha um bom futuro. Infelizmente, tanto a família, a igreja e a escola têm deixado muito a desejar e com isso pessoas crescem deformadas ao invés de formadas.

Em um outro artigo falarei sobre a visão do discipulado no Novo Testamento. Até lá!

Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA